CIDADÃO CAVEIRA
NINGUÉM
BRISAS
OUTROS TRABALHOS
SÉRIE CIDADÃO CAVEIRA


Como já sabemos a origem da raça humana deu-se na África, portanto todos nós temos uma maravilhosa mãe africana As diferenças vieram por alimentação, clima e linhagens genéticas. Somos um só povo e vivemos somente neste planeta, mas optamos por viver urbanamente e com todos os problemas da vida moderna e urbana, cheio de rótulos que passamos a vida a perseguir sem notarmos o vazio disso tudo. Cidadão por vivermos em cidades, Caveiras por sermos todos iguais, sem distinções de gênero, altura, pele, etc. Choque-se com as injustiças e diferenças, não aceite os horrores da homofobia, sexismo, racismo, fome, medo , etc. Ame e deixe-se amar.

Série Cidadão Caveira

SÉRIE NINGUÉM

A imagem que me vem em minha mente, quando eu imagino que outros seres humanos também sentem o mesmo desespero e angústia quando se depara com os maiores absurdos que a humanidade perpetra , contra tudo e todos. É a imagem de que gritássemos o mais que pudéssemos, mas tendo a certeza que nunca seremos ouvidos, frustração e decepção. E me veem essas pessoas a gritar em meu inconsciente, quem são? : NINGUÉM ...






Série Ninguém

SÉRIE BRISAS


São trabalhos onde o compromisso é com o ato de pintar, sentir o pincel deslizar experimentando a fluidez da tinta ,a resistência do suporte , onde experimento misturas de cores , de texturas e materiais , algumas vezes com pincéis , espátulas , em outras vezes com as mãos mesmo ou seja com total liberdade . O que tiver por perto sobre tela seria a melhor definição do material utilizado. Sua concepção sempre é realizada com total liberdade de criação embalada por uma boa música impulsionando a “viagem” .

Série Brisas

O artista

Visão do artista :

Meu trabalho tem alma e ela se manifesta conforme a luz, distância e ângulo de visão.
Você pode observá-la como um todo ou em parte, tanto em seu lado pictórico como em sua textura. Você pode notar suas côres, formas geométricas, riscos,direcionamento,intensida-
de e desenhos.
Há uma integração entre a obra e o expectador, como uma verdadeira interação de sentimento, reação, coração e mente.

Betto Damasceno
Betto

Agenda

De 10 de Dezembro de 2015 a 16 de Janeiro de 2016.


Local : Biblioteca de Arte Ilva Ceto Maranesi
Rua Kara,105 Jd. do Mar - SBCampo - 4125-2379

Agenda

Depoimentos

Lanie Santana

Colecionadora de artes


A arte de Betto Damasceno é de fato a analogia do tempo existencial concentrado em si mesmo, que une a consistência e a diferença do seu percurso, seja com a técnica mista sobre tela, ou com a de carvão sobre papel. Em suas obras realizadas com a técnica mista sobre tela, existem variantes de mistura, onde a escala cromática se alterna com uma liberdade implacável, deixando impressa por toda dimensão pictórica, as marcas emotivas do artista, onde Betto Damasceno não subestima o impacto do trabalho passional, ele vai além, transforma a consciência da ética do sujeito com sutileza de conteúdo. Para Betto Damasceno, a pintura nasce da pulsaçao cultural, da naturalidade ambiental e do pensamento visivo, que assumem o valor das escolhas epocais, respeitando o espírito do próprio tempo. SÉRIES Quando olhamos para as séries das obras de Betto Damasceno, uma por uma, vemos que o artista brinca com a história do nosso tempo sem sofrer qualquer constrangimento, na verdade, o patrimônio cultural que ele dispõem , é refletido nas telas através da agitação subterrânea das cidades, e das pessoas que nelas vivem, revelando por fim, a essência da sua arte, e aqui, tenho o prazer de mergulhar em cada uma delas: A emulsão de cores dão força e profundidade na série "OLHAR", diluindo o “objeto” abstrato, levando-nos a uma percepção quase fotográfica. A compostura geométrica trafega livremente na série "PENSAMENTOS", espalhando uma linguagem estruturada de códigos complexos, que parece quase querer expressar uma emoção temporária. O contraste, a firmeza das pinceladas, e uma timida busca pela luz na série "INTEMPÉRIES", re-avalia o contraste abstrato-figurativo, que deriva muito além da combinaçao de cores. Na serie HIP HOP, encontramos cores decompostas, querendo construir movimentos automáticos que evocam uma presença desconhecida, que transcende do efeito das cores. Na suavidade do cenario azul, os nossos olhos são capturados pelas figuras misteriosas que vagueiam livremente em algumas obras da série "BLUES SWING"; inserindo esta serie de obras-primas no contexto de abstração redefinida . Na serie BRISAS, o mix utilizado encontra seu equilíbrio, e isso é refletido nas vibrações luminosas, e também transmitido pela rigorosa seleção de cores, onde tudo é misturado, mas nada se confunde. A arbitrariedade de inserir os “crânios crus” no contexto da pintura, fazem fluir um senso primário, que estimulam as percepções do mistério, que separa o visível do invisível, e essas sensações são encontradas na série "CIDADÃO CAVEIRA". Passando à série "LOVE", nos deixamos levar pelos painéis horizontais que nos encorajam à penetrar na profundidade do "ninho", como se fossem armadilhas, e uma vez apanhados, queremos continuar ali, detidos. NINGUÉM, é a série das caras deliberadamente deformadas, cheia de mistérios, por vezes até dor, ou mesmo vergonha; essa gestualidade é visível nas pinceladas pretas de traços verticais, e até mesmo naquelas de tons pastéis, e, através da vivacidade das cores, Damasceno retrata com grande sensibilidade a interioridade dos sujeitos. A série "URBAN" é caracterizada pela harmonia do design, que com uma composição artisticamente simples, mas altamente eficaz, ilustra a modernidade do nosso tempo. A grandiosa serie dos DESENHOS, revelam a simplicidade e pureza dos sujeitos, demonstrado pela caracterisca natural do artista, mão segura e firme, que difundem na textura monocromática, e poucas vezes coloridas, uma exibição de figuras carregadas di amplitude em perfeito equilíbrio. Essas caras agitadas, às vezes felizes, às vezes sofridas, deixa claro que o trabalho de Betto Damasceno seja resultado da tentativa muito bem sucedida, de alcançar a complexidade da interioridade humana, em uma completa explosão de energia . A concretude se mistura com interioridade na série “CIDADE”, onde o real é decomposto pela objetividade dos significados, e aqui o artista apresenta um projeto renovado, longe das tradições à qual pertencemos. A influência pop é excepcional na série FFF (FAST FAT FUCK) uma série carregada de liberdade, onde as obras mostram a objetividade, através gestualidade e dos diálogos que podemos estabelecer com os sujeitos. Na última série, “RELAÇÕES URBANAS”, sem a presença das cores, prevalece o conceito do vazio, com linhas que se materializam em formas geométricas instáveis, abstratas, uma verdadeira extensão do senso da vida, e a vida sabemos, também faz parte do abstracionismo. EPILOGO Entre todas as outras coisas, deve-se enfatizar que o trabalho de Betto Damasceno, exemplifica um caminho universal, representado pela riquíssima influencia da arte contemporânea brasileira; o artista desenvolve um trabalho harmonioso, com critérios rigorosos e sobretudo muito engenhoso. A total consciência de seus trabalhos, leva Betto Damasceno, a conceber a sua arte em termos expressionistas e até mesmo analítico, que nessa mostra vêm amplamente exemplificado por um caminho inovador, experimental, desconexo, mas muito disciplinado, refletido pela personalidade autêntica e carismática desse artista, e esse genuinidade é mostrada em todas as suas fases

Oscar D’Ambrosio

Doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie e mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp.


A arte nasce de duas forças complementares. De um lado, está a distância entre aquilo que o mundo chamado real nos oferece e aquilo que cada um gostaria de ver. De outro, a diferença entre aquilo que o artista efetivamente cria e o que ele gostaria de realizar. Dessas inquietações, aparecem as mais variadas manifestações visuais.

Betto Damasceno apresenta trabalhos que podem ser lidos de diversos modos. O primeiro deles está na intuição no momento da criação. Existe uma linguagem que brota de seu desejo de se manifestar perante o mundo por meio de suas cores e formas peculiares, que constituem a sua poética.

Mas há também uma forma de organizar esse impulso criativo por meio de diversas séries temáticas que apontam para a maneira como estabelece as relações internas entre as suas criações. Assim, surge um permanente fazer regido pela expressividade. Os elos entre os elementos presentes em cada obra instauram um mundo pessoal.

O conjunto da obra de Betto Damasceno surge repleto de dizeres como um livro aberto sobre o universo que ele interpreta de modo peculiar. Seu fazer é o de quem traz a cada novo olhar um pensar sobre o que somos e para onde vamos enquanto fragmento individuais de um conjunto chamado humanidade que pode encontrar na arte o começo de uma salvação.

João Delijaicov

Curador da pinacoteca de SBC
20/02/2015


A força de vontade do Betto é contagiosa. Sua produção é grande e o que me chamou à atenção é a auto crítica. "Assim achando superada uma fase", repinta os quadros e apresenta a "nova produção", que tive o privilegio de ver e achei ótima. Que novas e novas fases aconteçam para o público conferir. O incansável Betto Damasceno não para de pintar e pesquisar em seu atelier, no "bate papo" ou mostrando algumas obras, que marcam mais e eu confirmei. Presenciei uma definitiva, pronta e acabada e bem contemporânea. Aliás o Betto "contemporâneo no seu pensar e leitura, parece que corre contra o tempo, para pintar o que deveria ter começado bem antes, acho eu , não há 6 anos.

Jefferson Santos

Biblioteca de Arte Ilva Aceto Maranesi


" A obra de Betto Damasceno, em síntese, é arte da superação
e da sublimação das agruras da alma. A junção de cores, estilo e pinceladas livres, mas convictas das formas que quer, expressam a inquietude de um ser humano autêntico, e nos leva a sensação de estarmos sendo golpeados por uma suave brisa"!!!

Fernando Castioni

Artista Plástico


Ter ido à exposição Olhar de Betto Damasceno, me trouxe uma grata surpresa. Tanto com as dimensões como pelo estilo próprio empregado em sua pintura. As cores e formas em perfeita
harmonia, assim como o fundo e a figura. Utilizando as cores de maneira muito peculiar.
Série Olhar | Series Look Série Pensamento | Series Thinking Série Intempéries | Series Wear & Ageing Série Hip Hop | Series Hip Hop Série Blues Swing | Series Blues Swing Série Brisas | Series Brisas Desenhos | Drawing Metrô | Subway Cidade | City FFF Fast Fat Fuck Relações Urbanas|Urban Relations